Micoinseticidas entomopatogênicas

Micoinseticidas entomopatogênicos. A produção brasileira de fungos entomopatogênicos foi desenvolvida no início do século passado e introduzida na década de 60. Utiliza basicamente arroz cozido ou outros cereais como substrato para crescimento de fungos e consequente produção de conídios.

Micoinseticidas entomopatogênicas Produção

Inicialmente, ocorre a colonização do arroz pelos microrganismos. Em seguida, a mistura de arroz e conídios é triturada e comercializada na forma de pó-molhável e outras formas de disseminação micogência.

Essa mistura também pode ser vendida sem trituração, sendo necessária a lavagem do substrato com água para remoção dos conídios. Os conídios são os ingredientes ativos dos micoinseticidas, funcionando como unidades infectivas.

Micologia Entomopatogênia

Micologia Entomopatogênia. Controle biológico é a diminuição de uma população de pragas pela utilização de predadores, parasitas ou patógenos.

O controle biológico de insetos não é uma técnica recente. Desde
o séc III a.C., formigas predadoras eram utilizadas pelos chineses para controlar pragas em plantas cítricas.

Na Arábia Medieval os agricultores transportavam colônias de formigas predadoras para o controle de formigas fitófagas em palmáceas.

No processo de infecção de um inseto por um
fungo, o crescimento da biomassa do microrganismo
sobre o cadáver do inseto resulta na produção de um
número significativo de conídios. Entretanto, a maioria
destes conídios desintegra-se rapidamente no
ambiente e apenas uma proporção mínima vai alcançar
sucesso, infectando outros insetos. Em períodos
de colheita é comum o aparecimento de doenças em
populações de insetos no campo, denominadas
epizootias. O desenvolvimento de epizootias está
relacionado com a dinâmica da população de insetos,
o número de conídios fúngicos e sua viabilidade, a
eficiência de infecção e desenvolvimento do microrganismo.